Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

É assim senhores do Sapo,

é a segunda vez que estou em destaque (obrigada, obrigada, obrigada), num curto espaço de tempo (beijinho, beijinho, beijinho), com a etiqueta UPS.

Ora, isso não está certo. Tá bem c'uma 'ssoa é destrambelhada sujeita às mais espetaculares aventuras, mas não há nada mais... Uépa! Sei lá, Aventuras Mirabolantes, Peripécias Magnânimas, algo mais... Supimpa, estão a ver?

Vá, pensem nisso. Ou então mudem o fundo para cor de rosa. Choque. E coloquem uns sapatos, de salto. Tudo fica melhor com sapatos de salto.

destaque.png

destaques2.png

 

 

 

Só eu... #6

Continuação

Naquela pequena confusão de espelho partido e pé atropelado, juntou-se um pequeno grupo de pessoas à nossa volta, entre elas, o Xô Presidente da Junta de Freguesia lá do sítio que, após a troca de contactos de promessas de ida ao hospital, se prontificou a ajudar-me.

- Queres ajuda Caracol? Que te apoie?

WTF? Já não chega este monte de gente aqui, serem três horas e a loja estar fechada e ainda me queres dar o teu ombro? Poupa-me a essa vergonha.

- Não, obrigadinha Xô Presidente. Eu vou sozinha.

- Mas vais à urgência, não vais?

Chatos, pá!

- Vou, vou. Claro que sim.

E fui.

Oito dias depois do acidente.

O pé estava da cor do crude, ainda estava dorido e, apesar de não me parecer ter nada partido, achei prudente dar um salto (ao pé cochinho) à urgência.

- Qual o motivo da sua vinda? - pergunta a recepcionista.

Oh, sabe, fui atropelada na semana passada...

- Tenho aqui um problemazito num pé...

- Que tipo de problema?

Aquele que pode surgir depois de lhe passar um carro por cima...

- Foi atropelado.

A senhora ergueu pela primeira vez o olhar na minha direção.

- Na semana passada. - continuei ignorando o sobrolho levantado - Parece-me tudo bem, mas como ainda está um bocadinho dorido, achei melhor passar por aqui.

Depois de digerir a informação, mandou-me aguardar para a triagem e desejou-me as melhoras.

Já na triagem, o enfermeiro questiona o mesmo:

- Então, que a traz por cá?

Sê sincera. Não estejas com historinhas.

- Tenho receio de ter alguma lesão no pé. Passou-lhe uma roda de um carro por cima na semana passada... Eu sei que devia ter cá passado mais cedo, mas como ainda me dói um bocadinho...

- Pois devia, nestas coisas não devemos facilitar. Mas diga-me, que tipo de carro foi?

Hã? Para que é isso relevante ao caso? Hmmm. talvez tenha a ver com o peso do veículo...

- Um BMW. - respondi, enquanto o enfermeiro prosseguia o seu raciocínio face à minha hesitação:

- Um carro de bebé, de mão...

Juro, quase ouvi o click quando assimilou a informação que tinha afiançado.

- Ah, foi mesmo um carro!

- Sim, foi mesmo um carro!

- E não veio logo? Fugiu o sacana?

- Hmmm, não. Não vim porque achei mesmo que estava tudo bem, que era só pisado. Só que como ainda está dorido... O senhor foi impecável. Tenho o contacto, caso seja necessário alguma coisa.

Avaliou o meu ferimento e no final:

- Deixe-me que lhe diga, teve muita sorte. Não parece estar partido, ou ter uma lesão maior, mas vamos fazer um raio x para certificar.

- Ok.

- Para a próxima não espere tanto tempo, venha logo. As melhoras.

- Obrigadinha. Não tenciono repetir a façanha.

Finalizada a radiografia - e saliento a dedicação de profissionalismo de quem me atendeu naquela ida à urgência - não tinha mesmo nada partido, só pisado. Segundo o ortopedista - que, minhas amigas, era uma brasinha, quase valia a pena atropelar o outro pé - era normal ainda estar com dores, afinal tinha sido uma grande pancada. Nada de pomadas como Trombocid ou Hirodoid, porque e passo a citar: "não fazem nada a não ser dilatar os vasos sanguíneos, provocando mais dor e aumentando o edema" (fica a dica!;) Recomendação apenas para um analgésico e gelo, muito gelo, caso acontecesse algo do género outra vez.

Terminou bem esta história, fiquei sem lesões de maior, o inchaço e pisado ainda demoraram a sarar, mas nunca mais repito.

O mesmo já não posso dizer na sandália: ficou com a sola partida. Mas salvou-me o pé a fofinha. =)

 

Desafio - Uma paixão chamada livros #18

Livro do qual nunca me irei separar

 

Download-As-Palavras-Que-Nunca-Te-Direi-Nicholas-S

 

Não pela história, que é bonita e vale a pena sim senhor, mas sim por quem e como me foi oferecido.

Foi um dos primeiros romances que a minha mamazita me ofereceu, pelo meu 16º aniversário.

É especial. Foi dado por alguém ainda mais especial, numa altura em as paixonetas eram passado e estava 100% dedicada aos estudos. Foi o primeiro romance romântico que li e ainda consigo sentir a excitação, o contentamento. Fiquei algum tempo só a contemplá-lo. A folhear, a sentir o cheiro a novo.

Infelizmente, cometi o grave erro de ver primeiro o filme. Quando cheguei ao final, achei que faltavam páginas, afinal  homem morria por causa de uma carta? A uma mulher falecida? Nada de nobre, como salvar uma família em apuros no alto mar? Fiquei desapontada. No entanto, acabei por perceber que faz mais sentido assim. Toda a trama, todo o desenrolar da história o leva para lá, se fosse de outra forma, não faria tanto sentido.

É a minha coqueluche literária. =)