Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Relato de um jantar de gajas

⚠️ Ler como se fosse um relato de futebol ⚠️

21h do dia 8 de março e o mulherio de-li-ra faminto. Há um mês que apenas comem ervas aromáticas e o estômago vibra de antecipação.
O empregado indica as mesas que são imediatamente arrebatadas.
O buffet é declarado aberto.
É no vale tuddoooooooo!
Há um cheiro no ar. O que é aquilo, minha gente? O que é aquilo?! RISSÓIS! São RRRRIIISSÓÓISS! Acabadinhos de fritar! A fila ainda vai extensa, será que vão sobrar para a mulher de lantejoulas? Será? Oh meu Deus! Incumprimento na fila! Como é possível! E o árbitro não diz nada! E ela continua. Um rissol, dois rissóis. TRÊS RISSÓIS para o prato gigante! Aí que nervos! Será que vai ver o cartão vermelho? Vai ser expulsa com toda a certeza e ainda vai ter que deixar os rissóis para outra.
Que habilidade!
Que reviravolta fantástica!
Que chuto maravilhoso no âmago das invejosas pela gordura frita!
A mulher regressa à sua mesa com a maior descontração.
Que situação tão perigosa para o adversário!
Espera, espera, espera!
Mas o que é aquilo?! O que é aquilo?! É um remate do DJ! Ao lado! Caramba! Há homens aqui? Isso dá direito a expulsão direta! Mas ele continua, ele insiste, ele não desiste e finalmente...ah! Finalmente, muda a gravação apenas mulheres fazerem barulho.
Wowowowoowow! Nova reviravolta! Que grande twist! Que grande penalidade no pé de dança! É o Panda! O PANDA!
Ah, mas as mulheres não querem saber! Elas continuam. Elas põe a cabeça para trás. Os ombros para a frente. Os polegares para cima. É agora! É agora! É agora!
Tchu tchua tchu tchua tchu tchua ua
É a LOUCURA!
Há ali um burburinho ao fundo. Novo ataque de um grupo pouco silencioso. Alguém recita o alfabeto. As canetas estão prontas e os cérebros aguçados. ela continua, ela segue, passa o D, chega ao G e STOP! É STOP! É STOP no XISSS! Que clássico incrível!
Novamente à pista de dança. É a loucura! É o remate louco! É o tudo por tudo! É a bunda no chãooooooo!

----------

Fonixxxxx! Como é que aqueles gajos fazem isto parecer tão fácil? 🙄 Estou aqui há duas vidas e ainda só cheguei às 10 da noite!
Mas acho que já perceberam a ideia. 😜🤪
Pequena nota editorial: tudo muito fraquinho a bater c'a 'bunda no chão'. Faço bem melhor só a tropeçar nos ácaros do chão. 🤣😂

#RiP8deMarço
#TenteiFazerRelato

Disfarces de Carnaval DIY

Para quem, como eu, a-do-ra o Carnaval e tudo é motivo para lhe pôr uns patins mas até têm de levar com ele em alguns locais, lembrei-me que seria de extrema utilidade deixar-vos sugestões de como criarem a vossa própria máscara, sem venderem um rim para África e sem terem efectivamente de caprichar na fatiota. Só precisam vestir a pele de um bom actor, serem convincentes no discurso et voilá, disfarce concluído com sucesso.

1.Semblante fechado, nenhum sorriso e olhar a percorrer todos os cantos. Se vos perguntarem: “Onde é que está o teu disfarce?” respondam convictamente: “o meu nome Gertrudes, Fiscal Gertrudes. Venho por parte da AT para uma auditoria.” É garantido que vão espalhar o terror.

2.Encham com farinha uns poucos de saquinhos transparentes (ou façam pequenas trouxas com película aderente) e guardem nos bolsos. À pergunta da praxe neste dias, devem responder com ar comprometido: “Aqui não. Chega aqui a um canto, faxabore e dirfarça.” De seguida mostram subtilmente os sacos e perguntam: “Quantos queres?”. E p’lamor da santa, esqueçam os bonés com a pála ao contrário, as correntes da cadeia da Relação do Porto e os óculos de sol do cigano, toda a gente sabe que os traficantes mais poderosos parecem pessoas normais.

3.Usurpem o distintivo de polícia do fato dos vossos filhos e guardem-no no bolso. Quando vos questionarem a falta de fatiota, saquem o distintivo e afirmem: “Agente Albina em missão à paisana e infiltrada. Estou aqui no âmbito de uma investigação ultra secreta e estás a estragar-me o disfarce. Sai-me da frente antes que te prenda por obstrução à justiça.”

4.Ajam com normalidade e usem roupa comum. São um criminoso perigoso e que está a tentar esconder o maior desvio de capital alguma vez visto. Se vos abordarem, finjam que não sabem do que estão a falar e NUNCA mencionem o vosso verdadeiro nome.

5.Vistam uma indumentária solene e de cor escura – se tiverem fato tanto melhor. A primeira pessoa a perguntar-vos pelo disfarce, responde com voz suave: “O meu nome é Vitória e trabalho na ServiLusa. Recebemos uma ordem de serviço para as suas cerimónias funerárias.” Este resulta especialmente bem se o visado for do clube que perdeu no clássico de sábado. (#RunSnailRun)

Aqui na foto, como podem verificar, eu optei pelo disfarce 3 para mim e a minha colega pelo 4, onde encarmos uma agente de autoridade infiltrada num processo "treinos dourados" e uma criminosa que desvia cartões com mais presenças que o dela.

De todo o modo... É Carnaval e portanto ninguém vai levar a mal que não gostem muito dele.

carnaval.jpg

 

Conan, o Osíris

Há umas semanas, quando ouvi Osíris pela primeira vez, enquanto arrumava a cozinha, escrevi: "Ouvi a música mais votada para o festival da canção. Digam-me: ainda não é nada definitivo, pois não? Ainda vamos a tempo de mudar, não vamos?
Vou só ali esperar com o ancinho no pé para esquecer. 🙄"
Eu sei, nem parece meu que até "gosto de música esquisita".
É o que dá escrever a opinião baseada em opiniões, depois de só ouvir uma vez e sem escutar efetivamente.
Sabendo que isto das músicas diferentes é como as couves de bruxelas, só ao fim de algum tempo é que nos acostumamos ao sabor, dediquei o meu tempo a escutar Osíris.
Não acho genial, não acho nada nunca antes visto - tirando o bailarino e o faqueiro como adereço, aí é originalissímo. Assim como assim, eu acho que se levasse uma tigela Bordalo Pinheiro no topo da cabeça sempre compunha o look de mesa posta.
Não me agrada particularmente aquele timbre meio aciganado, mas reconheço-lhe o mérito das letras e da ousadia. A letra de "Adoro Bolos" está francamente bem pensada, por exemplo.
Se vou passar a ouvir Osíris com o mesmo gosto com que ouço Sobral? Provavelmente não. Contudo, depois de ter ouvido outras composições dele, acho-o genuíno e audaz. Está-se a borrifar para os que, como eu, acham que parece uma mesa de domingo à espera que o assado saia do forno. Se ele gosta, está bem para ele.
Ah, mas ele fala assim bué mal. O que é falar mal? A mim, choca-me mais alguém dizer "Há muito tempo atrás" do que uns bués e tipos a ligar frases. Além disso, provavelmente, faz parte da personagem.
Ah, mas tu só estás a defendê-lo porque ganhou o festival da canção. Não sejam mauzinhos e dêem uma oportunidade à música do rapaz. Quem sabe não passam a gostar?
Não me partam é o telemóvel, ok? 😜

Sobre aquela coisa hedionda de rejeitar ser dador de medula óssea

 

Isto é tudo muito lindo.
Somos todos boas pessoas.
Todos queremos ajudar alguém e se a vida de alguém depender de nós não se hesita.
Somos todos muito altruístas e amamos todos muito o próximo.
Pessoas, vejam mais Walking Dead - ou os 100, os 100 é uma excelente opção. As coisas não são assim tão lineares. Não é uma só escolha que define um pessoa e uma pessoa não é uma besta só porque tomou uma decisão menos altruísta - que saberão os deuses e ela própria o quanto lhe terá custado.
E se quem era compatível não podia?
"Como assim não podia? Mas tu tás parva agora, mulher?"
Incendeia-se já o Facebook e mete-se carvão (do orgânico e não poluente) no CM TV.
Não podia por vários fatores: económicos (sabem que isto é processo que obriga a baixa médica? E quando a baixa médica é uma m€rda?), fatores psicológicos (e se a pessoa se sentir um farrapo tão grande que se sinta incapaz de ajudar alguém?), fatores logísticos (e se a pessoa tiver dependentes pequenos ao encargo e não tiver quem tome conta deles durante o processo?) e se... Pura e simplesmente a pessoa tiver desistido? Não é um direito seu?
É fácil sermos todos boas pessoas e dizer que não se faz, que é um crime e que são todos umas bestas. A empatia não é só colocarmo-nos no papel de quem não recebe - porque esse é fácil - mas também colocarmo-nos na pele de quem teve de usar todas as forças que tinha para dizer que não podia.

Somos melhores que isto, não somos?

A ver se eu percebo...

Falo sobre desporto a brincar

Classifico tipos de Paleos não uma, mas duas vezes. 

Escrevo parvoíce no geral, mesmo quando só me dão pérolas e só me apetece sortear chapadas. 

Ensino a malta a tirar proveito da profissão para conseguir engatar um par para o dia dos namorados e ainda explico como funciona o amor antes e depois dos descendentes. 

Tive duas tendinites de Aquiles a brincar, porque se há coisa que eu posso é gozar comigo. Antes isso que cordas militares com salto. 

Então e mulheres? Ele é nas aulas de dança, ele é em pink partys, um regabofe de gajedo se querem saber. 

Pelo meio das palavras, idealizei, estruturei, escrevi, realizei e editei uma pequena paródia

Não sou espectacular. 

Não sou nada nunca antes visto. 

Não sou fenomenal. 

Ainda tenho muito que aprender no que à escrita diz respeito. 

Mas todo e qualquer conteúdo que publiquei até à data saiu do meu pequeno cérebro retorcido e de funcionamento estranho. 

E é sempre bom saber que uma plataforma como a SAPO ainda valoriza a originalidade e a imaginação, promovendo malta que tenta fazer rir, no seu novo separador de humor. 

Achava eu que que conseguia fazer rir alguma alminha, mas nem a um anfíbio consegui levantar os cantos da boca. O melhor é esquecer isto de tentar ser engraçada e dedicar-me à agricultura, pelo menos tomates para salada devo conseguir vingar.

E devo acrescentar que o mínimo dos mínimos, além de tentarem conhecer os blogues que compõe a plataforma (sim, somos muitos. Não é o trabalho deles?), seria colocarem quem ganhou os Sapos do Ano. Aquele concurso caseiro, onde ninguém ganha nada a não ser um pacote de açúcar, mas que tantas dores de cabeça deu à Magda e ao David. Colocarem a Pequeno Caso Sério ,além de merecido, seria valorizarem um pouco o trabalho de quem nada ganha, mas tanto cria. 

Agora vou ali emborcar um Kompensan para curar a azia.

Mais logo esgoto duas garrafas de gin, amanhã faço o meu plano de treino novo duas vezes, afogo o resto das lágrimas em chocolate e lá para domingo estou restabelecida. 

 

 

Plano de treino novo - versão 2.0

 

Acho estranho no aquecimento estar escrito "Só passadeira", mas cumpro e utilizo apenas aquele equipamento durante 7 minutos de corrida moderada.
Quando chego ao exercício seguinte percebo que afinal aquilo são 20' passadeira, só que li o apóstrofo como acento.
Só Deus Nosso Senhor e o Senhor professor saberão porque raio tenho tanto cardio e treino funcional misturado com exercícios de força e resistência. Por isso estranhei a "Treadmill" 8-8, que li como passadeira 8minutos velocidade 8. Um nadita lento, mas podia ser uma espécie de bónus ao calhas. Ah-ah! Provavelmente, é na elevação 8 velocidade 8. Faz mais sentido.
Porque é que eu fui confirmar e não me limitei a seguir a segunda opção?
Porque sou um calhau com pernas. Só pode. Ou isso ou sou tona. Ou os dois. É provável que seja os dois.
Eis que me é explicado que a "Treadmill" - doravante chamado de EnganaDor - é aquele aparelhometro caído de um outro planeta que parece uma passadeira, é uma passadeira, mas não funciona como uma passadeira. É preciso uma pessoa empurrar o tapete, que tem a resistência de um hipopótamo obeso, lutar contra uns elásticos que nos sugam toda e qualquer réstia de fôlego que tinhamos e aquilo começa, finalmente!, a contar os segundos. Era suposto correr no EnganaDor, mas limitei-me a subir a Rua dos Clérigos de joelhos enquanto puxava uma bigorna de tonelada e meia. Ou pelo menos foi isso que eu senti durante aquele lonnnnnnnngossssss dois minutos.
Ui, já chega de resistência, não Caracol?
Pois, eu também achava que sim, mas depois de mais umas séries de força, espetam-me com isto:
Cordas militares. 3*20. Carga: salto.
Mas. Que. Raio. De. Coisa. É. Esta.
Ok, cordas militares é muito giro (#SóQueNão) mas... Desde quando é que um salto é carga, hã? Para que é que uma pessoa quer 3 kg a mais se não lhe podem servir de carga extra?! Uma barbaridade, é o que vos digo.
Obviamente, tentei escapar. Não que não quisesse experimentar - que até queria - mas porque já me tinha chegado o EnganaDor para experiência do dia.
Claro que, como boa mentirosa que sou, meti os pés pelas mãos quando me perguntaram "então? O que é agora?".
O que eu queria ter perguntado era "o que é remada invertida?", numa tentativa de fazer ali gingajoga de aldrabice e trocar um exercício por outro, mas o que realmente verbalizei foi "o que são remadas militares?".
Obviamente, nem o professor sabia que raio era aquilo, leu o plano, percebeu que lhe estava a tentar passar a perna, eu admiti logo mal ouvi o click mental dele numa tentativa vã de me ilibar confessando o crime, mas não me adiantou nada. 🤦
A acrescentar a isto, desenvolvi uma sacana de umas consciência fit manhosa que me obrigou a fazer 25 repetições na última série para compensar as 15 que fiz na segunda.

Agora perguntam vocês:

Não te arrependeste de ter escolhido essa opção quando tinhas tantas de dolce fare niente disponíveis e sem grandes desculpas esfarrapadas?

Não.
Nem por um segundo. 😜

Coisas giras que ouvi nesta vida

Estou sem tema para escrever (mentira, é só uma desculpa foleira para vos presentear com isto), portanto fiz um esforço de memória, abri o caderno "Ler em dias maus para rir um pouquinho" e recortei algumas das coisas mais giras e engraçadas ouvi ao longo destes meus trinta anos de existência. Grande parte foi pronunciada nesta última década o que prova a velha teoria de que de facto os vinte podem efectivamente ser gloriosos. 

Preparados? 

Casaste muito nova e decidiste logo à primeira... Devias ter experimentado mais... Digo eu, atenção. Tu é que sabes. "

Ora aí está uma conclusão brilhante: eu é que sei. E ele também, neste caso, uma vez que não casei sozinha. E já agora... Devia ter experimentado mais o quê? Sabores de gelado? Marcas de automóveis? Experiências radicais? Maratonas e iron's mens? Comida vegetariana? Enigmas é o que vos digo, só enigmas. 

Não me lembro do que respondi na altura, mas deve ter sido o costume: sorrir e acenar. 

Foda-se, a sua vida é uma merda! Nunca lhe apeteceu dizer isto?

Esta é hi-la-ri-an-te! Sobretudo se tivermos em conta o contexto: foi proferida por um psicólogo, logo no começo de uma consulta. A isto é que eu chamo uma entrada em grande! Cá agora anamneses e historial do paciente, temos de ser práticos e assertivos: o que é que a traz por cá? Assim mesmo à merceeiro de aldeia que lança o pregão habitual "Então D. Gertrudes, que vai ser hoje? Olhe, tenho ali uns espinafres que são um mimo e uns biscoitos Paupério que vão fazer as delicias dos gaiatos."  Quanto aos palavrões... Bom, nunca fizeram mal a ninguém e uma bom foda-se no momento certo consegue ser bastante libertador. Por exemplo, naquele momento, libertou toda uma torrente de lágrimas que enxuguei em dois maços de lenços de papel. Quando o pranto terminou, sorri e abandonei o gabinete para não mais voltar. Aquele sôtor tinha uma fila muito grande à espera e não queria ser inoportuna estragando-lhe o dia com infortúnios da minha vidinha absolutamente comum e banal. 

Só gostas de Saramago porque queres parecer inteligente.

Ah, a inveja de não gostar do que não se percebe. Adoro! É mais uma das tiradas que provavelmente me fez elevar os cantos da boca num sorriso, sem uma resposta à altura de um tão poderoso argumento. O irónico é que a pessoa deve ter achado que lhe dei razão quando na verdade a estava mandar abaixo de Braga, ali em baixo mesmo ao pé do sítio onde Judas perdeu as botas, estão a ver? Lá está: a inteligência não se mede com palavras. Uma pena que a maioria das pessoas ainda não percebido isso. 

O texto já vai longo e rico em parvoeira, mas deixem-me só deixar-vos a minha favorita de todos os tempos: 

Ficaste bem na vida depois dos teus pais falecerem. 

TAU! Caramba, qu'isto é que é sabedoria, hã? Admiro este pessoal que sabe falar e acerta mesmo no alvo. E estão carregados de razão. É verdade sim senhora, fiquei bem melhor com duas perdas tão grandes aos vinte e poucos anos e no espaço de pouco mais de vinte e quatro meses. É, aliás, uma experiência que recomendo vivamente. Só acho que efeito de nirvana e paraíso é potenciado e aumentado se forem os dois ao mesmo tempo. Aí meus caros é praticamente o EuroMilhões. Vão passar os dias a beber água de côco e banhar-se em água cristalina enquanto decidem se vão nadar com tubarões tigre ou ver os recifes de coral. Fazer-se à vida e trabalhar é só para quem os perde à vez. É chato mas é a vida. 

Como respondi na altura? Como sempre respondo quando os argumentos me deixam muda de estupefacção: com um sorriso e com um aceno. 

Não escrevi isto para me lamuriar - acho que perceberam isso - foi mesmo só para não me esquecer que o melhor remédio ainda é rir. E vá, pronto, porque não gosto de guardar diversão só para mim. 

Caracoladas

No dia dos namorados fiz um bolinho de manhã, antes de vir para o trabalho (sim eu faço coisas antes de vir trabalhar, não perguntem muito, ok? 🙄), nada muito elaborado apenas um bolo de chocolate de dois ingredientes e como de costume o rapaz pediu-me para rapar a taça. Disse-lhe que sim e quando dou conta tem a cabeça enfiada lá dentro com o chocolate a deixar um rasto quase até às orelhas. 
Mudei de estratégia e disse-lhe:

- Olha filho, vamos fazer antes o seguinte: rapamos parte desse chocolate para a tua caneca do leite e hoje tens leitinho de aveia com chocolate. Que me dizes?

Ficou todo contente e lá metemos o salazar ao barulho. 
Ele ficou a beber o seu leite com chocolate especial, feliz da vida, enquanto eu fui buscar a roupa lavada à lavandaria. Quando chego deparo-me com o este cenário:

Miúdo em pé numa cadeira em frente ao balcão a despejar o leite da caneca para a taça.

Quando lhe pergunto que raio está a fazer responde com a sapiciência dos seus quatro anos:

- Ainda tinha aqui muito chocolate, mamã. Assim não há tanto desperdício porque há meninos que não têm.

Pumbas! 1-0 à cara podre sem dó nem piedade. Recompus-me rapidamente e continuei:

- E depois como tencionas beber isso? Ainda vais fazer asneiras...

... E levar por cima, tive vontade de acrescentar. Levei como resposta:

- Com uma palhinha.

Posso jurar que ouvi o "Dahhhhh" nas entrelinhas.

Caracolinho 2 
Mamã 0

O Amor

Antes dos filhos:

- Banho em sais minerais do oriente e óleo de argão vindo diretamente de Marrocos. Nem um pêlo à vista e a água desliza pela pele como se tivéssemos uma capa hidrofoba patenteada pela Zeiss.

- Música romântica de fundo, média luz, pétalas de rosa nos lençóis, duas flutes de espumante e um prato de morangos em cima da mesa de cabeceira.

- Sabe Deus quando acaba. A madrugada é o limite.

Depois dos filhos:

- Duche à pressa com gel de banho do Catraio porque o nosso acabou e não lembramos de comprar outro. O único óleo lá por casa agora é o de bebé e a lâmina percorre as pernas às cegas criando auto-estradas no meio da selva de pelugem Pernal.

- Como é que se chamava aquela música? Oh, deixa lá fica mesmo na RoseBonbon que até tem nome romântico e o que conta é a intenção. Migalhas, brinquedos pequenos (ou pior: peças de Lego) no meio dos lençóis, mas amor precisa de emoção, não é verdade? "Que barulho é este? Levantou-se! Tapa-te!" Na mesa de cabeceira habitam duas coisas: fraldas e toalhitas no caso dos bebés pequenos ou toalhitas e brinquedos no caso de mais graúdos.

- O próximo choro ou chamamento é o limite.

Há quem lhes chame o melhor do mundo, eu acho que empata-loves também era bonito.

Frases de Engate

São 18h do dia de S. Valentim e já muitos homens deste mundo marcaram como seu território as melhores mesas dos restaurante, outros tantos desesperam oferecem a esta hora partes do fígado no mercado negro para conseguir uma mesa ao pé da janela panorâmica sobre a A42 e uma décima parte está já a pensar no que vai despir, perdão, vestir. 
Depois há ainda aqueles que ainda tentam não passar a noite sozinhos e andar por aí às voltas no Tinder, quando na verdade deviam usar armas antigas e que nunca passam de moda: as frases de engate. Para vos ajudar - e porque não é fácil avançar logo assim ró qu'interessa - venho dar uma mãozinha e ensinar-vos a tirar partido da vossa profissão em proveito de uma noite a dois. Estão sujeitos a umas estaladas, mas ei!, viver é um risco e mais vale duas palavras na mão que um livro a voar. 
Na temam, A Caracol chegou e vem em vosso auxílio. Segurem-se, o nível é capaz de descer.

Cozinheiro

Esqueçam o testo da panela. O que vai evitar que a vossa noite seja um esparguete de courgette - que é como quem diz "um engano d'alma" - é o seguinte argumento:

"Posso ser azeite ev se fores a cebola do meu estrugido".

Não é garantido que resulte, mas não se podem queixar de falta de bons ingredientes para uma chapada emocionante.

Nutricionista

Vá, deixem lá as calorias sossegadas uma vez na vida, o que vos vai garantir o aumento da glicémia é o seguinte chavão:

"Se fores o meu topping, eu aceito ser a tua panqueca."

É garantido que não vão passar a noite a ver as promoções da Prozis e até a aveia vai ter um sabor especial.

Técnico de Óptica Ocular

Nem pensem em utilizar as ametropias dos clientes a vosso favor. Usem a cabeça e mostrem eficácia e profissionalismo. Por exemplo:

"És a mola que faz saltar o meu parafuso."

Ou ainda o clássico

"O teu bisel encaixa perfeitamente na minha armação."

Não convém é dizer isto a um colega de profissão... Já se sabe que o humor só tem cilindros negativos.

Bancário

Há lá classe como mais potencial do que os trabalhadores na banca? Esqueçam as notas, o truque está na conversa fiada:

"Quero ser o teu PIN secreto e acabar de vez com o ano do teu nascimento."

Bo-ni-to.

Compincha de ginásio

Nope, não são os agachamentos (mas podiam ser).

"Posso ser o colchão para a tua prancha?"

ou elevando o nível para um fitónerd

"Conheces a teoria da terra plana? O teu glúteo tem tudo para a deitar por terra.."

Obviamente em qualquer das duas arriscam-se a levar com um halter de 15kg no mindinho do pé, ou pior, passar a noite a ver vídeos de desastres fit, mas já que arriscam a vida a pôr lá os pezinhos...

Contabilista

Não é fácil esta. Até porque números só atraem algumas mulheres se forem compostos por vários zeros e algumas vírgulas, mas vamos tentar:

"Se a AT te descobre ainda te inventam uma sobretaxa para a beleza"

Hã? Quem é miga? Ospois contem aqui à Caracol quantas cicatrizes de guerra vos valeu este dia. Ou então se arranjaram mesmo um amor para a vida toda.