Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Mães (Im)Perfeitas - A Suzana

Mais uma voltinha, mais uma mamã. De dois e com um cargo de chefia. Isto promete, hã?

 

O meu nome é Suzana, sou diretora técnica de creche e jardim de infância e acumulo a função de educadora.

Tenho dois filhos: o Pedro, que é um doce de menino, um pouco mais calmo que a sua irmã, mas muito teimoso e a Sofia que é uma menina amorosa, cheia de energia e um pouco possessiva. São duas crianças curiosas, gostam de correr, saltar, andar de bicicleta, de jogar à bola, mas acima de tudo gostam de estar um com o outro.

 

Suzana, sendo os teus filhos mais maiorzitos, suponho que a fase das birras tenha passado. Ou nem por isso?

Sim, eles já são crescidinhos. Sinto que estão a crescer depressa demais! As birras propriamente ditas, com muito choro e barulho, estão a ficar para trás, embora existam, pontualmente, situações semelhantes que apesar de normalmente não serem tão ruidosas, eles mostram o desagrado através de expressões muito fechadas, algumas lágrimas à mistura e argumentam muito apelando ao lado emocional.

 

Em pequenos - e mesmo agora em graúdos - como lidavas com as birras?

Quando eram mais pequenos, tentava acalma-los, mas sempre fui firme. Um sim era sempre um sim e um não era sempre um não, independentemente da intensidade da birra.

E existiram algumas verdadeiramente complicadas...

Agora são mais crescidos, continuo a manter a firmeza da minha decisão  inicial, explicando os motivos e as razões. Às vezes são diálogos um pouco acesos. Por vezes, conseguem perceber e termina ali a situação. Em alguns casos mais complicados, apesar dos meus esforços, ficam zangados. No entanto, como percebem que isso não altera nada, depressa vai modificando.

Sendo o Pedro e a Sofia já mais autónomos, tens a gestão do tempo facilitada?

Pois, essa é uma questão delicada. Seria de esperar que sim, mas dou-me conta de que as coisas vão-se complicando. Já passou a fase de ser um desgaste físico muito grande e sem nenhum tempo para mais nada, afinal a diferença de idades é de 3 anos e meio.

Agora eles são os dois autónomos, mas cada vez mais tenho que gerir o meu tempo entre atividades deles e por vezes até por aquilo que chamo "a sua agenda social", como os aniversários, por exemplo. Já nem falo na rotina diária.

O meu segredo, chamesmo-lhe assim, é aendar muito bem todo o meu tempo livre entre tarefas domesticas, o Pedro e a Sofia. Já vão participando em algumas tarefas lá em casa, o que já é uma ajuda. De resto, improviso está sempre na ordem do dia.

Consideras a tua atividade profissional uma mais valia na maternidade? Ou nem por isso?

Não. Se há coisa que cedo me apercebi, logo após ter sido mãe pela primeira vez, é que não era naquele momento a educadora de infância, mas sim mãe e com as ansiedades, as questões e os desejos que qualquer outra mãe com outra profissão teria. E por isso mesmo foi e é uma relação muito normal com questões, dúvidas, com momentos bons, momentos difíceis. Enfim, tudo igual a qualquer outra...

Queres partilhar connosco um momento que te tenha marcado enquanto mãe?

Isso é difícil. Tem sido uma viagem muito gratificante, muito plena de pequenos momentos felizes, menos felizes, mas todos eles muito importantes. Fazem parte da nossa caminhada. Realmente, a maternidade é algo único, insubstituível e não consigo eleger um momento em detrimento de muitos outros tão ou mais importantes.

O Pedro e a Sofia são duas crianças únicas, especiais, com diferentes personalidades, mas que se completam. Cada dia que passa esse é o sentimento que muito me deixa satisfeita e feliz.

 

Por fim Suzana, consegues definir a maternidade numa só palavra?

Uma só palavra... Partilha.

A minha vida mudou quando me tornei mãe e tive que partilhar tudo desde o inicio. Partilhar o meu corpo, o meu tempo, as minhas emoções, a minha vida... Tem sido uma partilha constante. E que bela partilha que tem sido!

 

Muito obrigada Suzana por este bocadinho de conversa!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D