Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Caracol

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Um blogue pseudo-humoristico-sarcástico. #soquenão #ésóparvo

Ó senhores, por onde devo ir?????


Hoje, e porque o marido se esqueceu de tal no mês passado, tive que levar o carro à inspecção.
Ainda lamuriei, se não podia ir ele amanhã, ou para a semana, que nunca tinha feito tal coisa na vida e tal e cenas, mas não, porque tinha que ser hoje, porque já devia ter sido na semana passada, porque já tinha passado o prazo e teria de pagar multa,

- E antes a multa da inspecção, que a da policia se nos apanha sem ela! Olha que são 250€!... - argumentou.
 Nem foi preciso acrescentar mais nada! Chiça, que 250 eurinhos de multa foi mais que suficiente para parar com as lamurias, encher o peito de ar e pensar :"Afinal, deve ser só fazer o que o sujeito mandar, tipo ligar pisca, desligar pisca e por aí fora... Vamos lá!"
Pois, o que eu não sabia, é que é preciso quase um livro de instruções para se fazer aquilo!!! A sério, e não estou a complicar (talvez só um bocadinho, vá). Acho mesmo que se deveria fazer uma visita de estudo, durante as aulas de código, a um centro de inspecção automóvel, só para percebemos como a coisa funciona, a logística de todo esse processo complicadissímo e dessa forma ficarmos preparados. Fica a dica. ;-)

Ora vou então começar pelo principio: chegada ao local, tudo vazio, uma maravilha, o meu cérebro logo a magicar que seria rápido e ainda teria tempo para fazer as mil e uma coisas que faço durante a hora de almoço. Contentinha da vida, lá estacionei a viatura numa das linhas para o serviço. Assim mesmo, não estava ninguém, estavam as duas linhas livres e eu escolhi a segunda, mais à mão, claro está. E por lá fiquei, à espera que algum senhor simpático me viesse dizer o que fazer a seguir, dentro do carro, pois claro, que fazia uma corrente de ar desgraçada! E esperei, e esperei, à vontade 5 minutos, enquanto via os funcionários (três ao todo), reunidos a conversar ao fundo da garagem. Vai daí, como sou uma moça despachada e tinha mais que fazer, dirigi-me educadamente ao grupinho:

- Boa tarde. Desculpe lá, eu nunca fiz isto na vida, mas não é suposto vir alguém inspecionar o carro?
- Claro que sim menina, mas primeiro tem de fazer a inscrição, na recepção. - disse como se eu fosse um E.T.
IÔ-IÔ-IÔ ecoou o meu cérebro. Mandei-o calar, pedi desculpa ao sujeito e lá fui para a recepção, que já tinha visto e achado que seria para quem não percebesse nada do assunto... Pessoas, tipo, eu.
Adiante, depois da inscrição feita, pediram para aguardar lá fora. Obedeci e sentei-me de imediato na viatura, que fazia frio. Desta vez, veio quase logo um funcionário na minha direcção, sorrindo, simpático, fez-me ver que era necessário alinhar o carro com uma linha amarela (Ah, há uma linha amarela... Pois, não reparei, desculpe lá...). Depois de posicionado o carro - ao qual o senhor teve que dar uma ajudinha ao volante para ficar impéc - fui informada que viria outro inspector, já que aquele iria almoçar e só tinha mesmo feito o jeito, uma boa alma aquele senhor, foi provavelmente o único que conseguiu ler na minha expressão que percebia tanto daquilo como de chaminés. O seguinte, menos prestável e mais sisudo, perguntou-me se já me tinham chamado. Ao que prontamente respondi:
- Olhe eu não ouvi, mas acho que não disse o meu nome na recepção.
Não percebi de imediato o ponto de interrogação que se formou acima da cabeça do senhor, mas lá foi a uma máquina qualquer e 10 segundos depois ouvi um megafone gritar a minha matricula.
Ah, bom. Estava explicado o chamar e o ponto de interrogação na cabeça do homem... Novo pedido de desculpas-que-nunca-tinha-feito-aquilo-e-não-sabia-como-funcionava.
Início da inspecção.
Abre capô.
Verifica não sei o quê lá para dentro e fecha capô.
Liga pisca direito.
Liga pisca esquerdo.
Liga mínimos, médios e máximos.
Volta a fazer tudo, desta vez para os farolins traseiros.
Liga luzes de nevoeiro.
Liga luzes de nevoeiro.
Já ouvi senhor e já o fiz!, pensei.
Aproxima-se, e explica, como se eu fosse de novo um E.T.:
- Sabe que tem que  ligar os médios...
- Ah, pois, oh, desculpe lá, é o hábito de nunca ligar nada no carro, é tudo automático!
Iô-Iô-Iô. Cala-te cérebro, que isto agora vai ser sempre a andar!
E foi, até porque depois foi tudo feito pelo funcionário - graçá deus!
Bem, até à parte do poço, aí confesso que temi pela saúde dele, não fosse guinar demais o carro e atirá-lo para cima do homem!
Esta parte foi relativamente simples, já que antes de se sumir pelo buraco, o inspector, explicou-me o que esperava que fizesse a cada comando que fosse dado. É tudo tão mais fácil quando sabemos o que se espera que façamos! Até que... "Trave!" Prontamente, puxo o travão de mão. "Com o pé!"
Porque raio não disse antes?! Ai este pessoal não explica tudo e espera que se saiba tudo!
Aposto que ficou tremendamente aliviado quando anunciou "Pode sair!" E eu também, que esta parte faz uma chiadeira danada e parece que o carro se vai partir todo!
E pronto, agora já sei como se faz a inspecção ao veículo, embora tencione nunca mais lá pôr uma rodinha, continuando a deixar essa tarefa para o marido.
Já agora, senhores donos dos centros de inspecção, por favor, ponham placas e setas a indicar o percurso, seria bem mais fácil! ;-)
É verdade, o carrinho passou sem qualquer anomalia e só perdi 30 minutos, quando poderia ter perdido somente 10, mas prefiro não pensar nisso...



Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.